• Cape Psicologia

A importância da Gestão Escolar na saúde mental

Texto escrito por Carolina Bittencourt, aluna do curso de Formação em Psicologia Escolar


“Uma equipe só conseguirá encantar os clientes na medida em que a empresa saiba encantar sua equipe primeiro”. Essa frase pode e deve ser adaptada ao ambiente da escola. Ao trazermos a necessidade de encantamento dos profissionais que estão dentro desta instituição, trazemos também a importância de cuidarmos e acolhermos estes profissionais.


Principalmente ao mencionar a classe dos professores, falamos de índices altíssimos de síndrome de burnout, afastamento do trabalho por doenças mentais, ou sentimentos de insatisfação geral e frustração com o próprio trabalho, além de jornadas de trabalho exaustivas, essas muitas vezes motivadas pelos baixos salários praticados no mercado. A condição de trabalho do professor, principalmente no Brasil, é denunciada há anos por diversos profissionais, e pouquíssimo foi alterado neste campo de trabalho.


A importância de se tratar adequadamente estes profissionais para que o ambiente de trabalho seja prazeroso e, portanto, produtivo, vai além do benefício de um serviço bem prestado e, com isso, o lucro monetário visado pelas escolas particulares. Professores não começam a carreira de licenciatura ou de pedagogia pelo estímulo financeiro, ou pelos benefícios do trabalho como se vê em empresas grandes. O estímulo, normalmente e principalmente na educação infantil, vem de um sentido de comunidade, de sociedade, de movimento social.


Por isso, cito a necessidade deste cuidado destes profissionais, muitas vezes pessoas nas quais a frustração só aumenta ao longo dos anos de carreira. É preciso estimular o ambiente coletivo de trabalho e o clima organizacional benéfico, em especial ao falarmos das escolas públicas brasileiras, pois é um trabalho de prevenção de futuras doenças mentais. É um estímulo para que a educação não continue a ser desvalorizada pela nossa sociedade.


Ao construir um bom espaço de trabalho dentro da escola, é evidente que os profissionais irão sentir-se mais estimulados a continuar seu trabalho e, portanto, serão mais produtivos. Ao serem mais produtivos, alimentam o sentido de comunidade de toda a geração que irá se tornar a classe trabalhadora do futuro. Esta contribuição é social, e seus benefícios são imensuráveis. Ao se falar das escolas particulares, o sentido de comunidade, suporte e de equipe, de integração e de importância dos componentes deste espaço irão levar os professores a “vestirem a camisa” da instituição. Desta forma, os benefícios são sociais e também monetários, no sentido de chamarem mais alunos à sua escola, permitir o crescimento da instituição, a manutenção e a estabilidade dos empregos, a satisfação pessoal e, impossível deixar de mencionar, também auxilia na manutenção da saúde mental dos profissionais daquele ambiente.


Como visto no curso de Formação em Psicologia Escolar do CAPE, é importante que, no momento da contratação, as expectativas dos profissionais estejam alinhadas com a cultura da escola, que os valores sejam alinhados. Nesse momento é importante evitar conflitos muito marcantes e procurar realizar o fit (alinhamento) cultural, não no sentido da submissão, mas no sentido do alinhamento de ideais. Os treinamentos de desenvolvimento de habilidades também são momentos de alinhar intenções, formas de trabalho e expectativas dos professores com a intenção de serviços que a escola pretende proporcionar.


Da mesma forma, atividades de integração entre os funcionários como festas de fim de ano, aniversariantes do mês, amigo oculto de páscoa e etc são importantes para alimentar o clima organizacional da empresa. Indicar um “padrinho” para os novos funcionários também é uma ótima maneira de estimular este clima de equipe, tanto para a nova pessoa que chega e é acolhida pela instituição, como a importância do senso de responsabilidade e comunidade que é dado ao “padrinho”.


O reconhecimento dos profissionais que, por motivo de tempo de casa ou de desempenho profissional, mereçam ser reconhecidos, demonstra à equipe que aquele espaço é um ambiente agradável para se trabalhar. Em conjunto com benefícios e um salário adequado ao trabalho, o sentimento de pertencimento dentro do ambiente escolar contribuirá para o melhor desempenho daqueles profissionais e melhorará, então, a qualidade do serviço proporcionado ao público pela escola.


Todas as atividades supracitadas podem ser desenvolvidas em ambos os ambientes escolares, particular e público. A separação só se fez necessária para levarmos em conta a saúde mental dos professores das escolas públicas por conta da precariedade de muitas instituições brasileiras. Mas o cuidado com os professores é uma questão de saúde pública, e um investimento no futuro do nosso país.




16 visualizações0 comentário